22 de outubro de 2020

Troféus dos Estaduais 2020

Como já é tradição nos últimos anos, fazemos um publicação com os troféus entregues aos campeões estaduais do Brasil com um breve comentário e nota pessoal. Para conhecer troféus dos anos anteriores, visite o link https://trofeusdofutebol.blogspot.com/2019/02/campeonatos-estaduais-do-futebol.html

AMAPÁ - o campeão levou esse douradão aí. Nota 7.

ACRE - Estética razoável, qualidade mais ou menos. Nota 7.

ALAGOAS - modelo mantido e bonito. Nota 10.

BAHIA - o tradicional futebol bahiano merece um troféu mais bonito. Nota 6.

ESPÍRITO SANTO - Até que é interessante. Nota 8.

RIO DE JANEIRO - Espetacular. Modelo mantido desde 2013 criou uma identidade com o cariocão. Nota 10.

SANTA CATARINA - não aguento mais falar mal dos troféus do catarinense. Nota 5.

CEARÁ - há quem goste e há quem não goste. Eu gosto. Nota 8.

DISTRITO FEDERAL - esteticamente mais ou menos. Nota 7.

RIO GRANDE DO SUL - Nada demais, mas superou os últimos anos. Nota 8.

MARANHÃO - procurei palavras positivas, mas não achei, Nota 6.

MINAS GERAIS - Modelo mantido nos últimos anos. Simples e bonito sem inventar. Nota 9.

PARÁ - Achei muito original essas alças "alienígenas" e incorporou muito bem com o resto do troféu. Nota 9.

PARAÍBA - pequeno demais, simples demais, acanhado demais. Nota 7.

PARANÁ - Um dia vão mandar fazer um troféu que não seja de colegial para o paraense. Enquanto isso, vou continuar falando mal. Nota 5.

SÃO PAULO - troféu mantido pelo 4º ano, mas me incomoda essa similaridade com a Supercopa da Europa, apesar de parecer muito bem feito. Nota 9.

PERNAMBUCO - Achei os últimos anos mais interessante, mas esse tem seu charme. Nota 8.

RIO GRANDE DO NORTE - já não lá essas coisas, mas o que ficou ruim de ver foi essa base com monte de placa de patrocinador. Nota 7.

SERGIPE - está aí um design diferente que não perdeu o lado tradicional. Nota 9.

9 de outubro de 2020

Torneio Heleno Nunes de 1984

Pouco conhecido entre os torcedores, o Torneio Heleno Nunes de 1984 foi organizado pela Federação Paulista de Futebol e teve apoio da CBF que contribuiu financeiramente com as passagens aéreas e com a doação do troféu para o campeão.

O nome oficial do torneio foi em homenagem ao ex-presidente da CBF que faleceu semanas antes do torneio começar.


O torneio foi disputado por 10 times que foram eliminados antes da 3ª fase do Brasileirão daquele ano: Atlético-MG, Bahia, Botafogo-RJ, Cruzeiro, Guarani, Internacional, Palmeiras, Santa Cruz, São Paulo e Sport.


O formato do torneio foi de pontos corridos em turno único, totalizando 9 rodadas, durou pouco mais de 1 mês e sagrou o Internacional como o grande campeão.


_____________________________________


7 de outubro de 2020

Troféu roubado do Campeonato Catarinense 2015 continua desaparecido


Era o ano de 2015, quando o Joinville venceu o Figueirense e conquistou o campeonato catarinense. Troféu erguido e festa com a torcida. Até aí tudo bem, mas a final foi parar no tribunal, onde ficou constatado meses depois, a escalação irregular de um jogador do Joinville e a consequente perda do título estadual do time.


Horas depois da decisão no tribunal, a sede do Joinville foi arrombada e o troféu sumiu!


Semanas depois, uma foto foi divulgada na internet, onde o troféu roubado aparecia junto com uma arma de fogo.


A Federação Catarinense de Futebol foi obrigada a fazer uma réplica do troféu para entregar ao Figueirense que herdou o título.


Detalhes do troféu:






O troféu original nunca foi encontrado.



1 de outubro de 2020

Ypiranga-AP é campeão amapaense!

Curta o nosso FACEBOOK pelo link: https://www.facebook.com/trofeusdofutebol



Troféu da Copa do Rei da Espanha sofreu perda total em 2011

Durante a comemoração do título do Real Madrid na Copa do Rei da Espanha em 2011, os jogadores estavam desfilando por Madrid em cima de um ônibus e o zagueiro Sérgio Ramos deixou cair o troféu do campeonato! Além da queda que foi de uma altura considerável, o ônibus ainda passou por cima danificando ainda mais o troféu


O resultado foi perda total e a Federação de futebol espanhola decidiu fazer um novo e, curiosamente, o troféu quebrado passou a ficar exposto em um museu.

Veja o vídeo abaixo com a cena trágica. Cenas Fortes! rsrs


23 de setembro de 2020

Central de Caruaru recebeu troféu da Série B, 33 anos depois.

Em 1986, não há um campeão oficial da Série B do Campeonato Brasileiro. A competição era dividida em quatro grupos com nove equipes cada, e os vencedores de cada grupo subiriam para a Série A: no caso, Treze (PB), Central de Caruaru (PE), Inter de Limeira (SP) e Criciúma (SC). Nunca houve uma fase final entre estes quatro, e por isto a CBF não considera nenhum dos quatro como campeão. A primeira divisão com a participação dos quatro, inclusive, foi realizada naquele mesmo ano, mas só terminou em março de 1987 com o título do São Paulo.

Mas, muitos torcedores dos quatro clubes vencedores de seus grupos, se consideram campeões e o Central de Caruaru foi mais longe e, em 2019, recebeu um troféu doado por um torcedor para comemorar essa conquista 33 anos depois do contestado título.


-

16 de setembro de 2020

Os quatro troféus da Copa João Havelange 2000

Após a confusão no Campeonato Brasileiro de 1999 ir parar na justiça, a CBF foi impedida de organizar o Campeonato Brasileiro em 2000. A solução foi o extinto Clube dos 13 organizar um campeonato as pressas e não poderia usar o formato e nem as promoções e rebaixamentos entre as divisões do Brasileirão 1999, mas acabou usando a posição dos times como parâmetros para a organizar 4 módulos:


O módulo azul reuniu os times da 1ª divisão 1999 + os os que ascenderam da 2ª divisão, mais alguns outros times que estavam na 2ª divisão, totalizando 25 times. Os 12 primeiros colocados seguiram para a fase final.

O módulo amarelo reuniu times da 2ª e 3ª divisão de 1999, totalizando 36 times. Os 3 primeiros colocados seguiram para a fase final.

O módulo verde reuniu outros 28 times das regiões Nordeste, Norte e Centro Oeste que estavam na 3ª divisão,mais outros times que foram convidado outros times foram convidados.

O módulo branco reuniu outros 27 times das regiões Sul e Sudeste que estavam na 3ª divisão, mais outros times que foram convidados. Os módulos verde e branco se uniam em determinado momento e o vencedor do módulo unificado ganhava 1 vaga para a fase final.

TROFÉUS - percebe-se que os 4 troféus tem o design semelhante, mudando apenas uns detalhes, como a cor.

O Cruzeiro-MG ficou em primeiro no módulo azul, mas não ganhou nenhum troféu. Foi eliminado na semi-final da fase final.

O Paraná-PR conquistou o módulo amarelo e ganhou um troféu cobreado. Foi eliminado nas quartas da fase final.


O Matutrom-PR conquistou o módulo verde/branco e ganhou um troféu cobreado. Foi eliminado nas oitavas da fase final.


O São Caetano-SP foi vice do módulo amarelo e não ganhou troféu, mas avançou para a fase final e foi vice-campeão e ganhou um troféu prateado.


O Vasco-RJ passou para a fase final em 5º lugar no módulo azul e acabou sendo o campeão e ganhou um troféu dourado.


Devido a organização dos módulos, muitos consideram o Paraná como campeão da 2ª divisão de 2000 e o Malutrom como campeão da 3ª divisão de 2000, porém a CBF só reconhece o Vasco e São Caetano como campeão e vice, respectivamente do Campeonato Brasileiro de 2000.

9 de setembro de 2020

Copa Rio e Copa Rivadávia Corrêa (1951-1953)

Considerado um Mundial de Clubes pioneiro, por partes dos torcedores dos times que a conquistou, a Copa Rio Internacional foi um marco no início dos anos 50. É fato, que havia uma valorização do torneio na época, pois não havia nenhum torneio semelhante, e que as edições contaram com a organização da CBD (percussora da CBF) e a autorização da FIFA, contando com times de outros países, que eram potências em suas regiões.


As partidas foram disputadas em São Paulo e no Rio de Janeiro e todas as finais foram no Estádio do Maracanã, que naquele momento era o maior do mundo e havia sediado as finais da Copa do Mundo de 1950. As três edições contaram com 8 equipes, mas nitidamente a última, em 1953, foi a menos prestigiada por ter menos clubes estrangeiros, além de ter o nome do torneio alterado. Abaixo, os participantes de cada edição:

1951: Palmeiras e Vasco (Brasil), Áustria Viena (Áustria), Sporting (Portugal), Nacional (Uruguai), Nice (França), Estrela Vermelha (Iugoslávia), Juventus (Itália).

1952: Fluminense e Corinthians (Brasil), Peñarol (Uruguai), Sporting (Portugal), Grasshopper (Suíça), Áustria Viena (Áustria), Libertad (Paraguai), Saarbrücken (Alemanha).

1953: Vasco, Botafogo, Fluminense, Corinthians e São Paulo (Brasil), Hibernian (Escócia), Olímpia (Paraguai), Sporting (Portugal).
_____________________________
GALERIA DOS CAMPEÕES:
_____________________________

1953 Vasco (Brasil)

1952 Fluminense (Brasil)

1951 Palmeiras (Brasil)